Aprendendo a Amar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Imagine alguém sem uma real experiência de amor! 

Imagine se esse alguém conseguiria experimentar sentimentos tão importantes e básicos como satisfação, realização, alegria de viver, companheirismo, segurança… Estas coisas que desejamos do fundo da alma mas, quase nunca, sabemos onde encontrá-las.

Talvez você se perceba exatamente assim e se pergunte: “e agora, o que eu faço pra ser feliz?” 

É sobre isso que vamos falar e vamos lhe apresentar um caminho novo, prático e extremamente compensador!

Vamos juntos?

Vamos começar com a palavra de Deus. 

Antes de tudo, é sempre muito saudável olhar para a Bíblia e buscar identificar seu contexto e aquelas circunstâncias que dão sentido a um episódio, notadamente quando pode nos ajudar a trazer a Palavra de Deus para nossa experiência quotidiana. 

É o que vamos fazer agora!

Vamos olhar para os episódios que estão narrados no Evangelho de Jesus Cristo, segundo São João, por volta do capítulo 15 e os versículos deste grandioso capítulo que narra preciosidades da vida de Nosso Senhor e Seus momentos últimos entre seus tão amados!

Sua Bíblia, a depender da tradução, possui alguns títulos que vão lhe ajudar a perceber como Jesus se sentia, porque falava daquele modo e qual a importância de Suas palavras dentro de Seu contexto, dos discípulos e o quê, no final das contas, isso tem a ver comigo e com você. Dê, portanto, uma olha nos capítulos anteriores e títulos diversos.

Nos capítulos anteriores ao décimo quinto, Jesus inicia uma conversa muito difícil e cheia de emoções: são compartilhados  sentimentos muito íntimos e sofrimentos; é anunciada Sua paixão e morte e o modo como deveria morrer, ao ponto de Jesus expressar que está “numa tristeza mortal”.  Os temas são a saudade, a partida, a morte e um futuro reencontro ainda não cabível na compreensão dos discípulos que Jesus tanto amou e a traição de Judas. Ali, o tema mais importante é o amor colocado na forma de um testamento, pois é preciso ter presente que após três anos de relacionamento e discipulado, Jesus, naquela hora, deseja que fique gravado nos seus discípulos o “suprassumo” de seus ensinamentos: “o que vos mando é que vos ameis uns aos outros como eu vos amei!” Procuremos perceber o coração de Nosso Senhor, intuir seus sentimentos! 

Assim está escrito em João 15, 12 -17

12 “Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, como eu vos amo.

13 Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos.

14 Vós sois meus amigos, se fazeis o que vos mando.

15 Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz seu senhor. Mas chamei-vos amigos, pois vos dei a conhecer tudo quanto ouvi de meu Pai.

16 Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda.

17 O que vos mando é que vos ameis uns aos outros.”

É bem possível que não nos  tenhamos dado conta de que a Palavra de Deus dirige-se, neste caso, também aos casais e que esta é, definitivamente, a qualidade do amor que os cônjuges devem viver: o amor de Cristo, que dá a vida pelos seus e que se encarna! Sim, a encarnação como expressão de amor é um dos acontecimentos mais extraordinários quando o assunto é aprender o amor com o qual Deus ama em Cristo Jesus.

Além do mais, trata-se de um amor que Deus, em Jesus e Seu evangelho, desejou ensinar pedagogicamente à humanidade, começando com os doze. Trata-se da pedagogia da proximidade, da conversa, da escuta, do perdão, da misericórdia que entra em “nosso mundo” para falar conosco de jeito que seríamos capazes de entender.

Aqui, se instaura uma das maiores e mais desafiadoras lições de Cristo!  

Quando Jesus nos convida a amar como Ele nos amou, está também nos convidando a, exatamente como Ele fez, entrarmos na realidade de quem dizemos amar e, de um jeito que a pessoa amada compreenda, expressar amor! Simples assim, embora signifique entrar num extraordinário processo de amor e salvação que se inaugura e se desenvolve na humanidade das pessoas! Leva tempo, requer energia espiritual, resulta em dar a vida por alguém! 

Desta experiência e compreensão, criamos o Aprendendo a Amar!

O Retiro on line para casais  Aprendendo a Amar, foi criado em 2019. Trata-se de uma experiência que aprofunda o sentido da vida a dois, na perspectiva da vocação para o Amor, através do exercício do conhecimento de si mesmo e do cônjuge, a partir de uma experiência de oração baseada nas circunstâncias do dia a dia de um casal. 

Resulta no fortalecimento do amor, conhecimento mútuo e aprofundamento em Deus. Além de colocar os problemas e suas soluções no devido lugar!

São 21 encontros on line realizados numa  plataforma exclusiva para os inscritos, acompanhados de uma proposta de oração e exercícios de compartilhamento de experiências significantes. 

Além disso, são oferecidos gratuitamente grupos exclusivos de partilha, lives em plataformas exclusivas e mini curso sobre finanças para o casal. 

O Aprendendo a Amar é uma criação de Ricardo e Eliana Sá. São referências no Brasil quando o assunto é família, casamento, noivado e namoro. São casados há 28 anos e são missionários. Na realização dessa missão, são infoprodutores, escritores, palestrantes, apresentadores de rádio e televisão, além de possuírem larga experiência internacional, especialmente na Europa e Estados Unidos. 

Atualmente moram em Sergipe, em Nossa Senhora da Glória, onde, em colaboração com a Arquidiocese de Aracajú, trabalham no Santuário da Divina Misericórdia. 

Para conhecer e se inscrever participe de nosso encontro gratuito on-line clicando no link 

www.ricardoeelianasa.com/vamosconversar

NEWSLATTER

Fique por dentro das nossas novidades!